Facebook Grandha.
Instagram Grandha
YouTube Grandha
Estudos relacionam alopecia androgenética e casos graves de Covid-19.

Alopecia Androgenética e Casos Graves de Covid-19: Estudos Sugerem Ligação

Compartilhe:

Alopecia Androgenética e Gravidade de COVID-19: Estudo Cruzado no Peru

O objetivo deste estudo foi determinar a relação entre a gravidade do COVID-19 e a alopecia androgenética em pacientes internados no Serviço de Cirurgia do Hospital Honório Delgado Espinoza em Arequipa, Peru. Realizou-se um estudo transversal em pacientes do sexo masculino com diagnóstico de COVID-19, no qual foram coletados dados sobre alopecia, características clínicas, tratamento e evolução.

Ao todo, 98 pacientes foram incluídos; a idade média foi de 55 anos (variação de 18 a 89), 32,7% com comorbidades e 45,9% com alopecia androgenética. A gravidade da infecção por COVID-19 foi moderada a grave em 13,2% dos pacientes sem alopecia e em 88,9% dos pacientes com alopecia androgenética (p> 0,001). Na análise do modelo de regressão logística, os pacientes com alopecia apresentaram maior risco de apresentar sintomas moderados a graves devido à infecção por SARS-CoV-2 (OR: 80,2; IC: 95% 16,2-397,7). Em conclusão, a gravidade da infecção foi estatisticamente significativa em pacientes com mais de 60 anos e aqueles com alopecia androgenética.

Tratamento e Evolução dos Pacientes

No total, 57,1% dos pacientes necessitaram de terapia com oxigênio. Entre eles, os pacientes sem alopecia (24,5%) foram significativamente menores do que aqueles com alopecia (95,6%), (p <0,001). Do total de pacientes que receberam suporte de oxigênio, 73,2% possuíam máscara com reservatório, 13,3% cânula nasal e apenas dois necessitaram de ventilação mecânica. O tempo de internação hospitalar foi menor ou igual a 7 dias em 28,6% dos pacientes, entre 8 e 14 dias em 21,4% e maior que 14 dias em 50% dos pacientes. Entre os pacientes internados por mais de 14 dias, aqueles sem alopecia (32,1%) foram significativamente menores do que aqueles com alopecia (71,1%) (p <0,001).

Na data da avaliação, 55,1% dos pacientes tiveram alta hospitalar, 11,2% faleceram, 6,1% dos pacientes ainda estavam internados com evolução desfavorável, 27,6% ainda estavam internados com boa evolução. O paciente falecido apresentou diferença significativa de acordo com o estado de alopecia: 1,9% sem alopecia e 22,2% com alopecia, respectivamente (p <0,001). As causas dos óbitos foram principalmente por pneumonia, seguida por septicemia.

Há Alguma Explicação Para Essa Relação?

“Compreender os mecanismos que levam à suscetibilidade do hospedeiro oferece uma oportunidade de intervenções farmacológicas para proteger indivíduos vulneráveis. Propusemos que a sensibilidade a andrógenos está associada à infecção por síndrome respiratória aguda grave do coronavírus 2 (SARS-CoV-2), possivelmente por meio da protease transmembrana serina 2 promovida por andrógeno (TMPRSS2)” [5].

De forma mais simplificada, o estudo sugere que o coronavírus causador do Covid-19 “se utiliza” de hormônios androgênicos como catalisadores para o agravamento da doença. A principal linha do estudo é que os homens calvos, que apresentam calvície como consequência de maior sensibilidade aos andrógenos, podem ser mais suscetíveis a casos graves do Covid-19 pelo mesmo motivo.


Referências:
[1] Arenas M.A.S., Urology Service of Hospital Regional Honorio Delgado, Arequipa, Peru;
[2] Carpio-Toia A.M. del, Vice-rectorate of Research, Faculty of Human Medicine, Graduate School, Universidad Católica de Santa María, Arequipa, Peru;
[3] Galdos, J.A., Public Health and Infection Research Group, Faculty of Health Sciences, Universidad Tecnologica de Pereira, Pereira, Risaralda, Colombia;
[4] Rodriguez-Morales, A.J., Grupo de Investigación Biomedicina, Faculty of Medicine, Fundación Universitaria Autónoma de las Américas, Pereira, Risaralda, Colombia;
[5] Wambier C.G., Goren A. Severe acute respiratory syndrome coronavirus 2 (SARS-CoV-2) infection is likely to be androgen mediated. J Am Acad Dermatol. 2020;83:308–309.


Mídias Sociais

Facebook Grandha.

Instagram Grandha

YouTube Grandha