Facebook Grandha.
Instagram Grandha
YouTube Grandha
Celso Martins Junior - Diretor Técnico Grandha.

O Liso e o Ético – por Celso Martins Junior

Compartilhe:

Produtos Alisantes Proibidos

Já há algum tempo que o mercado cosmético brasileiro tem sofrido intensas agressões por produtos e agentes químicos proibidos. O desejo inconsciente de muitas mulheres pelos cabelos lisos provoca uma onda de erros e, por que não dizer, delitos que desabrocham os terríveis sentimentos de injustiça e impunidade em nosso meio cosmético. Não era pra ser assim. Afinal de contas, trabalhamos no mercado da beleza, mas se recorrermos à história do Brasil, podemos sim, estabelecer uma série de conexões entre os tópicos que envolvem esta grande tragédia que assola o nosso meio de trabalho.

Enquanto isso, a fama negativa, bandida e aproveitadora de nosso país se arrasta pelas fronteiras norte-americanas, pela Europa e como se já não bastasse, pela Ásia. Por lá as revistas chamam isso, com um forte ar de desconfiança, de “Escova Brasileira de Queratina” ou se você preferir de “Brazilian Blow Out” e, enquanto isso, muitas cargas e containers enormes de bons produtos brasileiros para relaxamento e alisamento, de empresas sérias e comprometidas se acumulam nos portos do mundo inteiro, condenados pela desconfiança causada pelo descaso, despreparo e por que não dizer pela mediocridade destas “quase empresas”.

Clique e saiba mais:


Alisamento: Liso e o Ético, por Celso Martins Junior. Produtos cosméticos brasileiros exportados do Brasil para o mundo.

Má conduta de alguns exportadores brasileiros mancham a imagem de todo o país.

Mecanismos alisantes proibidos como o formol ou o ácido fórmico, o glutaraldeído, o ácido glioxílico e até mesmo a oxoacetamide de carbocisteína, desencadeiam situações de absurdo descontrole e imprevisibilidade ao cabelo e estimulam a degradação dos fios a médio prazo por meio da acidificação da fibra capilar. Na maioria das vezes, as más conseqüências se anunciam pela 3ª ou 4ª aplicação, quando a formação de pontes metilênicas – no caso do formol – e de pontes etilênicas – no caso do ácido glioxílico – estimulam a formação de ácido cistêico, promovendo um sério desequilíbrio físico-químico à fibra e diminuindo muito a resistência mecânica do cabelo a outros processos químicos, como colorações e super clareamentos.

Declaro aqui o meu mais profundo respeito e muita admiração por todas as empresas nacionais e multinacionais que lutaram, venceram e cresceram de forma digna e honrosa, sem tentar burlar ou enganar pessoas fazendo uso destes falsos e proibidos mecanismos alisantes. Parabéns a todos aqueles que jamais abriram mão da ética e de seus valores fundamentais.

E você consumidor, preste muita atenção aos produtos aplicados nos seus cabelos!

Meus sinceros cumprimentos.

Quem é Celso Martins Junior?

Técnico Químico e Especialista em Marketing Estratégico pela ESPM – SP, pós-graduado em Gestão Empresarial e em Cosmetologia com extensão em Perfumaria Fina e Tricologia Avançada no TRI – Princeton University. MBA em Cosmetologia com Extensão em Cosméticos Orgânicos e Sustentabilidade pela Escola Balear da Universidade de Palma de Mallorca – Espanha. Gestor de engenharia cosmética para o mercado nacional e europeu da Grandha Professional Hair Care do Grupo Martbel. Consultor técnico para a Wella Professional do Grupo Procter & Gamble Professor do Curso de Visagismo e Terapia Capilar da Universidade Anhembi Morumbi do Grupo Laureate International Universities, para as disciplinas de cosmetologia, químicas capilares, colorimetria e bases alisantes. Diretor Técnico da ABC – Associação Brasileira de Cosmetologia. Revisor técnico do livro ‘Tricologia e Ciência Cosmética Capilar de John Halal’. Amante confesso do bom cosmético.


Acompanhe nossas atualizações e novidades no Facebook Grandha.

Grandha Instagram. @grandhabrasil, siga-nos no Instagram.

Outros Artigos

13 comentários. Deixe sua Opinião.

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *