Facebook Grandha.
Instagram Grandha
YouTube Grandha
Novo regulamento de cosméticos alisantes de Anvisa. Técnico maneja produtos em laboratório.

Novo Regulamento de Cosméticos Alisantes da Anvisa Está em Vigor

Compartilhe:

RDC 409 Regulamenta Ativos Alisantes

No final de julho deste ano, a Anvisa publicou a Resolução de Diretoria Colegiada (RDC) n° 409, que determinou oficialmente os procedimentos e requisitos para a regularização de produtos cosméticos alisantes ou onduladores dos cabelos. Estes requisitos já estão em vigor.

Quais São os Alisantes Permitidos?

Nas disposições gerais do segundo capítulo da RDC 409 consta que todos os ativos alisantes ou ondulares sujeitam-se a registro na Anvisa. Para tanto, a Anvisa adianta que aceita apenas os ativos ou combinações de ativos discriminados na Instrução Normativa n°64. São eles:

  • Ácido Tioglicólico e seus sais;
  • Ésteres do Ácido Tioglicólico;
  • Hidróxido de Sódio ou Potássio;
  • Hidróxio de Lítio;
  • Hidróxido de Cálcio;
  • Sulfitos e bissulfitos inorgânicos.

Rígido Controle Laboratorial

Todos os produtos cosméticos alisantes precisam, necessariamente, satisfazer algum método de produção prescrito ou descrito em regulamentos técnicos oficiais, compêndios oficiais, estudos colaborativos ou algum tipo de metodologia específica desenvolvida pelo laboratório fabricante.

Em todos os casos supracitados, é imprescindível que o relatório de testes apresentados contenha fórmula quali-quantitativa e lote de amostra testada, diluição da amostra para realização do teste ou indicação de ausência de diluição, objetivos, material, casuística e métodos, cálculos envolvidos, resultados, critérios utilizados para classificação da substância ou fórmula testada de acordo com o resultado obtido e conclusão.

Alerta

Com o posicionamento oficial da Agência Nacional de Vigilância Sanitária, podemos reafirmar o que dizemos há muito tempo: formol e ácido glioxílico são danosos à saúde e jamais deveriam ser usados em procedimentos alisantes. Assista o documentário abaixo, produzido pela Grandha em 2012:


Referência:
[1] RDC n° 409.
[2] IN n° 64.


Acompanhe nossas atualizações e novidades no Facebook Grandha.

Grandha Instagram. @grandhabrasil, siga-nos no Instagram.


Novo vídeo do Tioglicolato de Amônio

Compartilhe:

Assista o novo vídeo do Tioglicolato de Amônio e impressione-se com o resultado!


Saiba como substituir o formol por alternativas seguras e confiáveis, como o hidróxido de guanidina, hidróxido de sódio, tioglicolato de amônio e tioglicolato de amp.

Como Substituir o Formol por um Alisamento Seguro?

Compartilhe:

Há poucos dias, recebemos uma dúvida de uma leitora do Grandha News sobre como trocar o formol por um alisamento seguro e confiável. Pois bem, vamos lá!

A pergunta foi a seguinte:

“Fiz progressiva com formol por 7 anos (a cada 6 meses) e agora experimentei o ácido glioxílico. Meu cabelo é fino e gosto da raiz lisa com as pontas onduladas. Qual produto posso usar sem medo para obter o mesmo resultado?

PS: Noto uma forte queda nos últimos meses!”

Bom, pelas informações passadas pela leitora, sabemos que ela realizou entre 10 e 15 aplicações de formol num – longo – período de 7 anos! Depois de tudo isso, alguém a orientou a trocar o formol pelo ácido glioxílico. Péssimo conselho!

Existem ótimas alternativas seguras e regulamentadas para alisamentos capilares, como explica o Diretor Técnico da Grandha e da Associação Brasileira de Cosmetologia, Prof. Celso Martins Junior:


“Para atingir os efeitos desejados pela leitora, é aconselhável substituir a aplicação atual pelo Tioglicolato de Amônio – em força média ou suave –, já que o cabelo está fortemente sensibilizado.

É extremamente importante procurar um bom e confiável profissional cabeleireiro e NÃO REAPLICAR EM HIPÓTESE ALGUMA produtos com ÁCIDO GLIOXÍLICO, CARBOCISTEÍNA, FORMOL OU GLUTARALDEÍDO.

Será necessário investir em tratamentos profissionais de alta ação reparadora e reconstrutora dos fios, assim como numa linha de manutenção adequada para cabelos alisados.


O trabalho de recuperação da fibra capilar, num caso específico como esse, leva em torno de 2 a 3 meses para atingir uma recuperação bastante significativa.

Em caso de maiores dúvidas, contate-nos através do e-mail sac@grandha.com.br.


Alternativas viáveis ao formol para alisamentos capilares. Facebook da Grandha.


Loja Virtual

Mídias Sociais

Facebook Grandha.

Instagram Grandha

YouTube Grandha