Facebook Grandha.
Instagram Grandha
YouTube Grandha
Argila verde para acne, ideal para pele oleosa com espinhas.

Argila Verde Para Acne, Espinhas e Pele Oleosa: Como Tratar Corretamente

Compartilhe:

Argila Verde Para Acne

Dentre as três principais argilas – além da verde, temos a branca e a negra, nenhuma é tão eficiente quanto a argila verde para acne, espinhas e pele oleosa. A acne é um condição da pele que acontece quando as glândulas sebáceas se inflamam ou, no caso de acúmulo de sebo e queratina, pode ocorrer a acne não-inflamatória.

Essas condições podem alterar a flora bacteriana da pele, principalmente pela bactéria Propionibacterium acnes, sendo mais comum durante a puberdade, mas também podem aparecer em períodos de alteração hormonal.

Mulher aplicando argila verde no rosto.

Argila verde é ideal para tratamento da pele acneica.

Tratamento Para Acne

O tratamento da acne deve ser direcionado de acordo com uma avaliação prévia que determine o grau do problema. Pode-se utilizar inúmeros recursos terapêuticos, dentre eles a argila verde. Cada argila possui a sua particularidade em relação à granulometria e à composição de minerais e cores distintas. São essas características que determinam a sua aplicabilidade.

Indica-se a argila verde para acne, pois esta possui grande diversidade de elementos como óxido de ferro, associado a magnésio, cálcio, potássio, manganês, fósforo, zinco, alumínio, silício, cobre, selênio, cobalto e molibdênio. Apresenta pH neutro, grande função absorvente, combate edemas, tem potencial secativo, emoliente, é antisséptica, bactericida, analgésica e cicatrizante (AMORIN; PIAZZA, 2009). A argila verde provoca um efeito adstringente – controlador da oleosidade –, é um esfoliante suave, tem uma ação emoliente e é indicada para tratamentos de pele acneica. (PERETTO, 1999; MEDEIROS, 20O7; CLAUDINO, 2010; VILA Y CAMPANYA, 2000).

Argila Verde. Conheça os mistérios da linha Alkymia di Grandha, para terapia da pele e do couro cabeludo com argilas terapêuticas.

A argila verde provoca um efeito adstringente, é um esfoliante suave, tem uma ação emoliente e é indicada para tratamentos de pele acneica.

Durante a aplicação da argila na pele, ocorre uma troca iônica entre a argila e o tecido. Isso faz com que toda a área da aplicação seja beneficiada pelos componentes da argila, capaz de adsorver as toxinas presentes na pele, minimizar inflamação, facilitar a reidratação da pele e auxiliar a fixação do oxigênio no tecido. Para que as trocas entre a argila e o tecido aconteçam, é necessário um meio aquoso. Por isso, indicamos que a mistura seja feita com a Amino Acqua Infusion Therapy, uma “água” riquíssima em aminoácidos e PCa sódico, ingredientes que auxiliam na nutrição e hidratação da pele. O resultado é uma pele integra, equilibrada e saudável!

A seguir deixamos uma sugestão de protocolo para tratamento com argila verde para acne, espinhas e pele oleosas.

Protocolo de Argila Verde Para Acne

Protocolo

  1. Fazer higienização com Cleaner Gel Pre-Shampoo;
  2. Aplicar a máscara de argila feita com Argila Verde + Amino Acqua e deixar agir 20 minutos. Nos 5 minutos finais, pode-se usar simultaneamente vapor e ozônio – manter a máscara úmida;
  3. Retirar toda a argila com gaze umedecida;
  4. Aplicar o Acqua Soft;
  5. Aplicar Protetor Solar.

O protocolo pode ser repetido semanalmente, se necessário.


Referências:
1. AMORIM, L.V., VIANA, J.D., FARIAS, K.V., BARBOSA, M.I.R., FERREIRA, H.C., Revista Matéria, v. 11, n. 1, pp. 30 – 40, 2006.
2. AMORIN, M. I; PIAZZA, F. C. P. O uso das argilas na estética facial e corporal. 2009.
3. CLAUDINO, H. Argila medicinal: propriedades benefícios e uso na saúde e estética. Bom Retiro: Ed. Elevação, 2010.
4. HENKE, S. Estrutura Cristalina. Nota de aula. UFPR. Curitiba, 2012.
5. PERETTO, I. C. Argila: um santo remédio e outros remédios compatíveis. São Paulo: Paulinas, 1999.
6. MEDEIROS, G. M. S. Geoterapia: teorias e mecanismos de ação: um manual teórico–prático. Tubarão: Unisul, 2007.
7. SANTOS, A. M. et al. Emprego de argilas caulínicas no tratamento de úlcera vasculogenicas em idosos. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE ENFERMAGEM, 61, Transformação Social e sustentabilidade ambiental. Ceará, 2009. SANTOS, P. de S. Ciência e Tecnologia de Argilas. 2. ed., São Paulo: Edgar Blücher, 1989. SANTOS, P. de S. Tecnologias de Argilas Aplicadas às Argilas Brasileiras. São Paulo: Edgar Blucher, 1975. v.1.
8. VILA Y CAMPANYA, M. Manual de geoterapia aplicada. Organización Panamericana de la Salud. Organización Mundial de la Salud. Programa Nacional de Medicina Complementária. Peru. Textos completos, 2000.


Raissa Hein é Educadora Técnica Grandha, graduada e pós-graduada em tricologia e terapia capilar pela Universidade Anhembi Morumbi; cabeleireira, maquiadora e docente na Academia Brasileira de Tricologia e na pós-graduação da Universidade Anhembi Morumbi.

Acompanhe nossas atualizações e novidades no Facebook Grandha.

Grandha Instagram. @grandhabrasil, siga-nos no Instagram.


Alopecia e Biomedicina: papel do biomédico na prevenção e tratamento.

Alopecia e Biomedicina: Atuação do Biomédico na Prevenção e Tratamento

Compartilhe:

Alopecia, Biomedicina e Terapias Integrativas

Hoje analisarei a crescente relevância da biomedicina no estudo, prevenção e tratamento da alopecia. A alopecia e a queda capilar em geral podem trazer sérias consequências psicológicas relacionadas, por exemplo, à ansiedade e depressão (HUNT; MCHALE, 2007). O cabelo apresenta grande significado estético e sociocultural, sendo valorizado como caracterização que representa o indivíduo (GOIÁS, 2018). Portanto, episódios que envolvem a queda de cabelo influenciam as relações interpessoais dos afetados.

O cabelo é uma característica marcante no ser humano e tem como principais funções a termorregulação e a proteção física. Serve também como um mecanismo de comunicação psicossocial para o indivíduo, como parte integrante da sociedade (MACHADO, 2017). Por isso, é notório que a queda de cabelo traz um impacto significativo quando a analisamos de um ponto de vista social.

Mulher ruiva feliz com seu cabelo.

O cabelo serve como um mecanismo de comunicação psicossocial para o indivíduo como parte integrante da sociedade.

Biomedicina e Alopecia

São diversos os distúrbios que podem afetar o couro cabeludo e causar a queda de cabelo. A alopecia é uma patologia que consiste numa inflamação crônica que afeta os folículos e acomete grande parte da população mundial atual (GOIÁS, 2018). Essa doença se caracteriza pela queda de cabelo repentina ou progressiva, se distinguindo em variações da mesma de acordo com a sua etiologia e forma de progressão, as quais serão abordadas e explicadas no decorrer do próximo artigo.

Na etiologia da doença, é possível verificar que os processos hormonais que acontecem no organismo são comumente relacionados a alopecia e auxiliam e perpetuam o desenvolvimento da patologia em questão, sendo uma das principais razões das alterações no folículo piloso (REBELO, 2015). Entretanto, mesmo com as variações da patologia, são diversos os tratamentos e recursos terapêuticos que visam a melhora do quadro e até mesmo a recuperação total ou parcial do paciente.

Esses métodos podem ser associados e utilizados como forma de prevenção, tratamento, recuperação e fortalecimento da fibra capilar e do couro cabeludo. Em vista disso, o papel do biomédico vem aumentando progressivamente na área de tratamento e prevenção da doença, dado que o mesmo pode realizar processos terapêuticos que visam a prevenção e recuperação do paciente com alopecia e dos indivíduos predispostos às patologias de couro cabeludo. Grande parte da população desconhece a calvície como uma doença e, portanto, ignora possíveis complicações e submete-se a uma situação que, na maioria das vezes, seria evitável.

Muitas Possibilidades de Abordagens

Seja pela abordagens diretas, com terapias alternativas ao couro cabeludo, ou com técnicas para estimular biomodulação celular das unidades foliculares e consequente retorno da produção de novos fios, envolvendo cosmecêuticos moduladores, estimulantes da matriz do folículo piloso, fototerapia, microagulhamento, aromaterapia, auriculoterapia, massagens terapêuticas, entre outros, há muitas opções de terapias alternativas, também são usadas como métodos de prevenção (CARVALHO, 2019).

No próximo artigo desta série, abordarei um trabalho realizado por mim, juntamente com os acadêmicos de biomedicina, Jullia Cassemira, Ana Carolina Moreira, Greice Pacheco e Yuri Nonato, da Sociedade Educacional de Santa Catarina (UNISOCIESC), sobre algumas dos métodos supracitados.


Referências:
[1] CARVALHO, Wanderley. Cosmetologia aplicada a estética. São Paulo: Farmacêutica, 2019.
[2] GOIÁS. Secretaria de Desenvolvimento Econômico. Tricologia e tratamentos capilares. Goiás: Secretaria de Desenvolvimento Econômico, 2018.
[3] HUNT, Nigel; MCHALE, Sue. The psychological impact of alopecia. The Psychologist, v. 20, n. 6, p. 362-364, jun. 2007 MACHADO, Carmo Cyrilo; OLIVEIRA, Inês de. Calvície e alopecia: revisão bibliográfica. Dissertação (Mestrado em Ciências Farmacêuticas) – Mestrado Integrado em Ciências Farmacêuticas, Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias, Lisboa, 2017.
[4] REBELO, Ana Santos. Novas estratégias para tratamento da alopecia. 2015. Dissertação (Mestrado em Ciências Farmacêuticas) – Mestrado Integrado em Ciências Farmacêuticas, Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias, Lisboa, 2015.


Rosângela Lampert é graduada em Terapia Capilar e membro da Academia Brasileira de Tricologia, graduanda em biomedicina, empreendedora e proprietária da Lampert Hair Clinic, em Jaraguá do Sul, SC.

Acompanhe nossas atualizações e novidades no Facebook Grandha.

Grandha Instagram. @grandhabrasil, siga-nos no Instagram.


Mulher com alopecia areata: queda capilar por traumas e questões emocionais.

Alopecia Areata: Queda Capilar Por Traumas e Questões Emocionais

Compartilhe:

O que é Alopecia Areata?

Alopecia areata é uma doença inflamatória da pele que causa queda capilar – mas pode ocasionar queda noutras regiões do corpo –, normalmente em falhas circulares no couro cabeludo. É comum que as falhas apareçam de repente e afetem apenas uma área limitada.

Na maioria dos casos, o cabelos acabam crescendo novamente em até 1 ano. Para algumas pessoas, porém, a alopecia areata pode durar mais tempo e tornar-se mais severa, causando perda total do cabelo – alopecia totalis –, ou até perda total de todos os pelos corporais – alopecia universalis.

Alopecia Areata: Estudo de Caso

Hoje, dividirei com vocês um linda história! Há alguns meses, uma cliente me procurou por conta de um caso grave de alopecia areata. Ela já havia consultado diversos profissionais que, infelizmente, não conseguiram lhe ajudar.

Mulher antes do tratamento para alopecia areata: queda capilar por traumas e questões emocionais.

Cliente antes do tratamento para Alopecia Areata com Grandha.

Conversando com ela, soube que ela havia tido um câncer recém-curado, mas seu cabelo começara a cair antes do surgimento do mesmo. Continuamos nos aprofundando neste contato emocional e ela me disse que um ano antes de seus cabelos caírem, ela tinha sofrido um assalto e, num intervalo de pouco tempo, tragicamente perdido seu filho de 19 anos de idade.

Ao fazer a tricoscopia vi que havia pontos de inflamações e sinais de óstios. Na análise emocional, percebi muita agitação. Criei um protocolo com os óleos essenciais, vegetais, argilas e uma aplicação de aromaterapia para o equilíbrio dos traumas vividos. É muito importante ressaltar que ela fez uso diário dos produtos cosmecêuticos em casa. A manutenção correta é essencial para a eficácia da terapia capilar e sucesso do tratamento.

Lançamento da nova família Flores & Vegetais Grandha 2019.

O kit Refresh Flores & Vegetais foi usado no início do tratamento em casa. Sinergia da calêndula, hortelã e óleo essencial de lavanda francesa.

Uma Nova Esperança

Vindo de uma situação altamente traumática, inclusive com a irreparável perda de um filho, esta cliente apresentava um caso emocional duríssimo. Ela passou a usar peruca e os médicos lhe disseram que ela jamais conseguiria ficar sem a prótese capilar.

Mulher após tratamento para alopecia areata: queda capilar por traumas e questões emocionais.

Cliente após o tratamento para Alopecia Areata com Grandha.

Mas, em 6 meses de tratamento, ela deixou a prótese para trás. Durante os 7 primeiros meses, o tratamento na clínica era semanal. Após este período, passou a ser quinzenal. Ao longo de todo o processo, ela foi bastante disciplinada com a manutenção em casa e continua ainda hoje a utilizar os produtos cosmecêuticos. Hoje ela vive uma vida livre da peruca e conseguiu recuperar sua auto-estima.


Débora Aguillar é autora do Blog Grandha.

Acompanhe nossas atualizações e novidades no Facebook Grandha.

Grandha Instagram. @grandhabrasil, siga-nos no Instagram.


Page 1 of 15123...Last

Loja Virtual

Mídias Sociais

Facebook Grandha.

Instagram Grandha

YouTube Grandha